sexta-feira, 1 de abril de 2016

15 Primaveras


 Quem diria que esta data que todo mundo fala ser super importante me marcaria tanto, não pelo fato de estar fazendo 15 anos ou por presentes, por acontecimentos. Acontecimentos que de alguma forma de tornaram alguém mais forte do que aparento ser, alguém que pode chorar a noite toda mas acorda sorrindo e alegrando os outros. Tento sempre ser o melhor de mim, o mundo já está tão terrível, para que piorar com atos ruins? Quando me diziam que depois dos 15 a moça se torna mulher, sempre fiquei meia assim, porém, eu estou amadurecendo, lidando com meus problemas amorosos ou de qualquer outro gênero sozinha. Quando eu parava para pensar sobre meus 15 anos, sempre pensava nas pessoas que eu amava e que nesse dia hoje 30 de Março, só confirmou que eu sou a garota mais sortuda do mundo por apenas ter eles em minha vida. Meus amigos, seja eles virtuais ou não, família, professores e etc.. Deixei alguns pedacinhos meus pelo caminho, mas o tempo cura tudo, não é mesmo? Amores vem e vão, dores passam e as pessoas realmente importantes ficam. Nesse ano não poderia ser um dos melhores da minha vida, conquistei amizades, meus sonhos e fui muito amada. Quando a tristeza batia em minha porta, eu me lembrava deles, de como Deus sempre me abençoou, preciso realmente disso? Não, preciso somente de mim e de minha coragem para viver neste mundo cujo qual, já jurei não pertencer.
 Tenho vários sonhos pendurados na minha parede e meu coração acelera quando ouço alguma música, fico vermelha por qualquer coisa e sou estranha, eu sei. Essas categorias formam o meu eu, demorei anos e anos para me aceitar realmente como sou, tanto no físico como no psicológico, o que poderei fazer? Nada, apenas aceitar meu jeitinho de ver o mundo. Se vocês me perguntarem hoje se eu me olho no espelho e fico feliz, diria que, de alguma forma, eu me amo. Fico contente com este sentimento que sinto diariamente, ele não é maldoso, é bom. Como meu professor disse hoje ''Ela é bonita por fora e por dentro'', e hoje com o teclado molhado e meu óculos embaçado, venho agradecer por todas as conquistas que já conquistei nesse caminho que comecei quando criei o Escritora Clichê.


Anny

Pra eu mesma

Oi 2014, sou eu. Sim, meu cabelo esta curto, sei que você sempre quis cortar. Queria que a Ana de 2014 soubesse de algumas coisas, por...